Desde 2001 soluções têm  sido procuradas para o problema gerado pelo muro  -  Foto:Jailson Vieira/Notisul
Desde 2001 soluções têm sido procuradas para o problema gerado pelo muro - Foto:Jailson Vieira/Notisul

Tubarão

Uma antiga reivindicação da população de Tubarão, a retirada do muro dos Correios que atinge a calçada próximo ao edifício EJB dificulta a mobilidade urbana e muitas vezes obriga os pedestres a transitar em meio aos veículos, pela avenida Marcolino Martins Cabral, deve ser atendida.

Em uma reunião realizada ontem com o prefeito Olavio Falchetti, o diretor-regional dos Correios em Santa Catarina, Paulo Oliveira de Andrade, apresentou uma sondagem realizada na área e se colocou a estatal à disposição para executar os serviços para retirada do muro.

No encontro ainda ficou decidido que nos próximos dias será feito o projeto da obra para posterior licitação e contratação de serviços pela firma.

Desde 2001 soluções têm sido procuradas para o problema gerado pelo muro. Um projeto chegou a ser elaborado pelo setor de engenharia da empresa, em Florianópolis, em agosto de 2009. Naquela época, uma reforma foi feita para solucionar o problema da vazão de água sobre a calçada. A expectativa era que o paredão começasse a ser removido em março de 2010. A data foi postergada para 2011 e depois para o ano seguinte.  

Em 2013, os Correios anunciaram, em nota, que o paredão ficaria onde está. Baseada nas leis municipais 477/69 e 768/77, que dispõem, respectivamente, sobre as diretrizes para o plano diretor urbanístico e sobre a construção e conservação dos muros e passeios da cidade, a diretoria alegava que não há irregularidade na construção.