Tubarão

A doação de dinheiro a pedintes em vias públicas e semáforos do município, prática que estimula a permanência ou vinda de moradores de ruas para Tubarão, foi tema da reunião nesta quinta-feira (25) do Grupo de Gestão Integrada (GGI), formado por representantes de várias entidades que buscam soluções para a segurança pública. Uma campanha de conscientização sobre os prejuízos dessas doações será preparada para orientar a comunidade.

A necessidade de aplicar algum tipo de ação surgiu da observação do aumento da quantidade de pedintes nas ruas, a maioria pessoas de outras cidades que aproveitam o que chamam de ‘generosidade e tolerância’ da população tubaronense.“Nas abordagens constatamos que eles se sentem à vontade na cidade porque têm seus pedidos atendidos pelos moradores e não são importunados. Isso fez com que a movimentação deste público tenha crescido bastante”, destaca a gerente da Fundação Municipal de Desenvolvimento Social (FMDS), Kelly Botega Fortunatto.

A sugestão de uma campanha de conscientização sobre evitar a ajuda a pedintes agradou os membros do GGI, que nesta reunião teve a participação de integrantes dos grupos de Rotary de Tubarão. A preparação do material será feita pelo Departamento de Comunicação da prefeitura, com apoio técnico da FMDS e apoio institucional dos clubes de Rotary e outras instituições.

Além de evitar os problemas com pedintes e moradores de rua, a campanha de conscientização também busca contornar a atuação dos artistas e malabares que pedem contribuições em vias públicas e semáforos. A prefeitura tentou controlar a situação por meio de uma lei aprovada em julho do ano passado, mas ela acabou revogada por causa de restrições que esbarram no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).