#Pracegover foto: na imagem há uma jovem atleta
#Pracegover foto: na imagem há uma jovem atleta

A campeã olímpica Rebeca Andrade sobrou no primeiro dia do Mundial de Ginástica Artística na cidade de Kitakyushu (Japão) ao se classificar para as finais do salto, paralelas assimétricas e trave. É a primeira vez na história que uma brasileira assegura presença em três finais em um Mundial.  E Rebeca foi além: dos três aparelhos em que competiu, obteve a nota mais alta em dois deles:  nos salto (14,800) e nas paralelas (15,100). A competição ocorre três meses após a paulista conquistar o ouro no salto e a prata no individual geral nos Jogos de Tóquio.
“Eu até comentei com o Chico [o treinador Francisco Porath] que o meu sonho era tirar 15. Era o nosso sonho. Treinei muito e consegui”, disse a ginasta sobre sua performance nas paralelas, em depoimento à Confederação Brasileira de Ginástica (CBG).

A primeira apresentação da noite foi no salto, no qual Rebeca faturou o ouro olímpico em Tóquio. A paulista superou todas as expectativas ao alcançar nota 14,800, deixando para trás a holandesa Elisabeth Geurts (14,350) segunda colocada, e a italiana Asia D’Amato (13,816). “Consegui me adaptar, sentir o meu corpo. Saltei bem tranquila, com consciência. Na final, preciso estar tão concentrada como estive hoje”, revelou a ginasta.

Na trave, a brasileira se desequilibrou três vezes, mas mesmo assim avançou à final na oitava posição (13,400). As finais serão disputadas a partir das  das 4h45 (horário de Brasília) do próximo sábado (23), com chances reais de a paulista de Guarulhos subir ao pódio duas vezes, feito inédito para ginástica artística do país. “Se vier, vai ser incrível. Vou ficar muito feliz de colocar o meu nome na história mais uma vez”, afirmou Rebeca.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Agência Brasil