Evento promovido pela Acim Mulher homenageará as mulheres de destaque em diferentes setores de Imbituba. Premiação ocorre na próxima quarta-feira. 

Imbituba

Elas estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho: ocupam cargos importantes e posições de liderança, desempenham, muitas vezes, funções tipicamente masculinas e, ainda assumem o papel de provedoras de suas famílias. Engana-se, no entanto, quem imagina que isso é o bastante. Aumenta a cada dia o número de mulheres que deixam de ser empregadas para ter o próprio negócio.

Hoje, no Brasil, cerca de 45% dos pequenos negócios são administrados por mulheres. Elas também são a maioria entre os novos empreendedores. E com o objetivo de colocar em evidência e homenagear mulheres de Imbituba que são destaque em Negócios, Terceiro Setor, Educação, Cultura e Esporte, o Núcleo de Mulheres Empresárias da Associação Empresarial de Imbituba Acim Mulher) está com votação aberta para o Prêmio Mulheres em Destaque.

A votação vai até domingo. A premiação será na próxima quarta-feira, Dia Internacional da Mulher, em um jantar. “As mulheres estão presentes e em posições de liderança em diferentes setores da sociedade desenvolvendo ações que às vezes não são percebidas. Precisamos valorizar o trabalho que elas desenvolvem, ou já desenvolveram, como forma de agradecer pela dedicação e transformação para a cidade, ou para a vida de inúmeras pessoas. Um prêmio que valoriza mulheres e coloca as histórias de cada uma delas em evidência. Mostra que perto de nós há pessoas incríveis e inspiradoras, para também sermos agentes de transformação”, observa a coordenadora do núcleo, Sarah Medade.

Lugar de mulher é no mercado de trabalho
Ficou para trás o tempo em que lugar de mulher era dentro de casa “pilotando o fogão”. Depois de anos de luta em defesa da igualdade de direitos, acesso à educação, trabalho e liberdade de escolha, as mulheres vem a cada ano ocupando mais espaço nas corporações, pequenas, médias e grandes, provando sua capacidade de empreender e de liderar grandes equipes.

A globalização, a evolução do mundo digital sem barreiras, também contribuiu com essa mudança de comportamento. Hoje a mulher não busca só um diploma, ela quer se realizar profissionalmente, ou fazer carreira em empresas de destaque no mercado ou empreender e realizar o sonho do negócio próprio. Os números comprovam a realidade. Dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) mostram que 52% dos empresários com menos de três anos e meio de atividade são do sexo feminino, enquanto que levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) revela que, nas Regiões Sul e Norte, em 57% das empresas com menos de três anos e meio as mulheres estão na chefia.

Na região Centro Oeste, o percentual é de 56% e, no Sudeste, de 51%. Já no Nordeste, elas estão no comando de 49% das empresas com este perfil. Ainda de acordo com a pesquisa do IBQP, as mulheres sulistas são as mais empreendedoras do país: no Sul, a maior parte dos novos empreendimentos (52%) é comandada por elas.