A Semana das Mães está fechando com uma ótima notícia! Após dias de trabalho de toda equipe da SOS Desaparecidos, a fim de localizar uma jovem mãe, foi logrado êxito nesta busca, e ela poderá passar este domingo tão especial em casa, com seus filhos.

Seu paradeiro era a cidade de São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul. Graças ao apoio da assistente social Fernanda Soprano Coelho, que trabalha nesta cidade, de apenas 3,5 mil habitantes, e que faz limite com Nova Veneza e Morro Grande, em Santa Catarina, foi prestado os auxílios psicológicos e sociais a Camila Felix Mota, e, por meio de muita garra e determinação, como a profissional resume, foi conseguida a parceria para o translado de Camila até sua residência, em Araranguá, de onde sumiu no último dia 7 de abril. A equipe da SOS Desaparecidos contabiliza mais um final feliz na sua história de atuação no Estado. A volta para casa ocorreu nesta sexta-feira (10).

“Ver a alegria desta família, saber que o Dia das Mães destas crianças será melhor, não tem preço! Agradeço principalmente ao nosso comandante, coronel Zelindro Ismael Farias, que de forma ativa, colaborou para que isto se tornasse possível. Colabore, seja mais um soldado nesta causa”, convida o policial militar do Programa SOS Desaparecidos e voluntário da causa, Walter Teixeira.

PM de SC é a única no Brasil a ter uma equipe exclusiva e especializada na área

No Brasil existem somente poucas delegacias especializadas e exclusivas em desaparecimentos (Santa Catarina, Minas Gerais e Paraná), sendo que somente aqui existe este tipo de serviço, oportunizando as famílias vitimadas pelo desaparecimento, além da 1ª resposta, a divulgação, procura, prevenção e encaminhamento psicossocial dessas famílias.

O que é o Programa S.O.S Desaparecidos?

São 200 mil desaparecimentos por ano no país, sendo 40 mil de crianças e adolescentes. Todos os anos, em Santa Catarina, temos aproximadamente três mil registros. Diante disto, a Polícia Militar lançou, no dia 18 de outubro de 2012, o Programa S.O.S Desaparecidos, focado em missões de atendimento e resposta ao desaparecimento, priorizando os menores.

O Programa ainda mantém a Coordenadoria Estadual de Pessoas Desaparecidas, onde, por meio de uma equipe, tem disponibilidade e exclusividade de dedicação na busca, divulgação e armazenamento de informações. “Uma vez coletados os dados referentes às possíveis causas dos desaparecimentos, estaremos contribuindo para que esses dados mobilizem a sociedade, o governo e as universidades, visando a futuras pesquisas e programas de prevenção, com o objetivo de garantia e de defesa dos direitos do cidadão brasileiro priorizando as crianças e adolescentes”, detalha um trecho da proposta.

Nesse sentido, o Programa fortalece a política pública na área social, uma vez que participa na articulação e potencialização da rede de proteção da criança e do adolescente, despertando as parceiras de organizações governamentais e não governamentais, além de dar um grande suporte operacional para os desaparecimentos de adultos.