Um passeio turístico na Escócia mudou a vida da vice-diretora de finanças Bal Gill, 41 anos. A mulher passeava com a família pelo museu Camera Obscura and World of Illusions, em Edimburgo, e, ao entrar em uma sala com câmeras de imagens térmicas, percebeu que havia um ponto de calor no seu seio esquerdo. Gill olhou as imagens de outras mulheres, e nenhuma apresentava a mesma figura. Ela tirou uma foto e seguiu com o passeio.

Quando voltou para casa, decidiu pesquisar e descobriu que é possível detectar câncer de mama com câmeras térmicas – o fluxo sanguíneo no local é mais intenso onde as células cancerígenas estão se multiplicando. Assustada, ela procurou o médico, fez alguns exames e descobriu, de fato, um tumor em estágio inicial. Gill passou por duas cirurgias, uma mastectomia e se submeterá a outra intervenção em novembro, mas não precisará fazer quimioterapia ou radioterapia.

Em entrevista à BBC News Brasil, a mulher se diz grata. “Sem essa câmera, eu nunca teria sabido. Sei que não é o propósito daquele lugar, mas, para mim, foi uma visita que mudou a vida”, afirma.