#Pracegover Foto: na imagem há pessoas, viatura e um galpão
#Pracegover Foto: na imagem há pessoas, viatura e um galpão

A Justiça de Santa Catarina determinou que o julgamento de Rozalba Maria Grime, acusada de matar uma mulher para roubar o bebê, em Canelinha, vai a júri popular. Conforme o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), a ré responderá pelos crimes de feminicídio qualificado por motivo torpe, com emprego de meio cruel, mediante dissimulação e para encobrir outro crime.

Rozalba deve responder também por tentativa de homicídio qualificado pela impossibilidade de defesa (em relação ao bebê), ocultação de cadáver, parto suposto, subtração de incapaz e fraude processual. As provas colhidas no inquérito policial e durante a ação penal sustentam que a denunciada seria a autora de outros crimes, todos relacionados com os homicídios, o tentado e o consumado.

O crime ocorreu em 27 de agosto de 2020 em Canelinha em uma cerâmica desativada. De acordo com a denúncia, a acusada atingiu a vítima com um tijolo na cabeça, cortou o ventre dela e roubou a bebê. Ferida, a recém-nascida foi levada a um hospital pela assassina e pelo marido. A menina se recuperou e agora é cuidada pelo pai.

Os jurados são voluntários sorteados pela Justiça e vão decidir se Rozalba é culpada ou não pelo crime. De acordo com o processo, a acusada era amiga da vítima. Para esconder o assassinato e justificar a bebê, a ré inventou uma gravidez.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: NSC e NDMais

Foto: Lucas Eccel/Rádio Clube FM 88.5/Divulgação