A primeira assembleia geral do grupo, a fim de oficializar a sua instituição e início dos trabalhos, será na próxima quinta. O encontro será às 20 horas, na sede da Amurel, em Tubarão.
A primeira assembleia geral do grupo, a fim de oficializar a sua instituição e início dos trabalhos, será na próxima quinta. O encontro será às 20 horas, na sede da Amurel, em Tubarão.

Tubarão

Na próxima quinta-feira, lideranças empresariais, políticas e a sociedade civil organizada de toda a região conhecerão a ‘Vias do Sul’. Trata-se de uma Organização Não Governamental (ONG) que terá, entre outros objetivos, a defesa e a promoção do uso racional e produtivo das atividades e processos de logística na região sul de Santa Catarina.

A primeira ação da ‘Vias do Sul’ será o lançamento da campanha “BR-101: Vamos duplicar a pressão!”, cujas atividades pretendem literalmente pressionar as autoridades e governos para que as obras no trecho sul da rodovia desenvolvam-se com maior rapidez.

A extensão sul da BR-101 foi licitada em 2004. As obras iniciaram, efetivamente, em janeiro de 2005. Na época, o prazo de conclusão era de dois anos. Hoje, quase seis anos depois, existem trechos atrasados e que não deverão ser finalizados até o fim deste ano.

É o caso do lote 29, entre Araranguá e Sombrio. Uma nova licitação precisou ser feita no ano passado. Hoje, o espaço é de responsabilidade do consórcio Construcap/Modern/Ferreira Guedes, e possui apenas 6,73% das pistas prontas (cerca de 1,75 dos 26 quilômetros a serem duplicados).

O outro trecho é o lote 25, entre Capivari de Baixo e Laguna, do consórcio Araguaia/Blokos/Emparsanco. As obras estão paralisadas desde o dia 20 de dezembro do ano passado e, em tese, devem ser retomadas na próxima segunda-feira. Atualmente, o trecho tem apenas 9,5 quilômetros de pistas duplas. O equivalente a 31,77% do total a ser feito (29,9 quilômetros).