O túnel no Morro do Formigão terá 700 metros de extensão, duas faixas de rolamento, acostamento e passarelas para pedestres. Obra tem prazo de dois anos para ser concluída.
O túnel no Morro do Formigão terá 700 metros de extensão, duas faixas de rolamento, acostamento e passarelas para pedestres. Obra tem prazo de dois anos para ser concluída.

Zahyra Mattar
Tubarão

Neste exato momento, a equipe responsável pela elaboração do edital de licitação para uma obra-de-arte-especial não contempladas no projeto original de duplicação da BR-101 sul, o túnel do Morro do Formigão, em Tubarão, trata de acertar os últimos detalhes da concorrência.

Os projetos de engenharia e de estudos ambientais estão prontos. A intenção é lançar a licitação em meados do próximo mês. O Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit) já possui a licença prévia para a obra. Paralelamente, a elaboração do edital é levada adiante os trâmites para obter a licença de instalação. O prazo para a expedição deste documento é o fim de outubro.

Com isso, o Dnit trabalha com a projeção de que as obras poderão efetivamente iniciar em novembro deste ano. O custo estimado é de R$ 42,5 milhões. O túnel terá 700 metros de extensão, duas faixas de rolamento, acostamento e passarelas para pedestres.

O prazo de conclusão da obra é de dois anos. Caso inicie mesmo em novembro deste ano, o túnel estará aberto e liberado para o tráfego de veículos e pedestres até novembro de 2012.

Ponte de Cabeçudas
O projeto da ponte sobre o canal de Laranjeiras, no bairro Cabeçudas, em Laguna, continua à espera da aprovação ambiental do Ibama. Somente depois disso será feito o edital de licitação para obra. A passagem terá 400 metros. O conjunto formado pelo viaduto, com as pistas complementativas e pilares, terá, no total, 2.825 metros de comprimento e 24 metros de largura. O orçamento previsto é de R$ 400 milhões.

Como será a obra?

O túnel no Morro do Formigão, em Tubarão, será aberto com cargas explosivas. Uma máquina – perfuratriz tripla – faz os furos na rocha; em seguida, é colocado o material explosivo e ‘bum’! À medida que as explosões são feitas, o material remanescente é removido e uma placa de concreto é feita para fixar a estrutura.

Paralelamente ao trabalho prático, outra equipe é responsável por efetuar medições diárias da largura e da altura do túnel. Isto é necessário para verificar se não há cedimento da rocha, o que poderia causar um desabamento, por exemplo.

Antes da obra iniciar, será feito um trabalho junto à comunidade que margeia o morro. As explosões ocorrem em dias pré-agendados e qualquer alteração é comunicada com antecedência, inclusive por veículo de som. As residências muito próximas também terão a estrutura monitorada.