O escritor Rubem Fonseca morreu, nesta quarta-feira (15/4), vítima de um infarto. Ele chegou a ser levado ao Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, no entanto, não resistiu. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do local.

Contista, romancista, ensaísta e roteiristas, Rubem Fonseca completaria 95 anos em 11 de maio. Nascido em Juiz de Fora (MG), ficou conhecido por obras como Feliz ano novo, A cólera do cão e O cobrador. O livro mais recente lançado é Carne crua, de 2018.

A estreia na literatura foi com Os prisioneiros, em 1963. Ao longo da carreira ganhou prêmios no Brasil, como Jabuti e Machado de Assis, além de premiações internacionais: Camões e Literário Casino da Póvoa (Portugal), Latinoamericana y del Caribe Juan Rulfo (México) e Iberoamericano de Narrativa Manuel Rojas (Chile). Entre as obras reconhecidas com os títulos estão Lúcia McCartney, A grande arte, Buraco na parede, Secreções, excreções e desatinos, Pequenas criaturas, Bufo & Spallanzani e Amálgama.

Rubem Fonseca deixa três filhos Maria Beatriz, José Alberto e o cineasta José Henrique Fonseca. Ainda não há informações sobre o enterro. No entanto, a expectativa é de que seja reservado à família, assim como ocorreu nesta semana com o sepultamento do baiano Moraes Moreira.

Foto: Divulgação/Zeca Fonseca
Fonte: Correio Braziliense