A cantora gospel e pastora evangélica Ludmila Ferber, veio a óbito nesta quarta-feira (26), aos 56 anos. Ela enfrentava um câncer no pulmão, desde 2018. A informação foi confirmada por amigos próximos da artista. A notícia da morte da cantora começou a circular nas redes sociais na noite desta quarta-feira, mas a informação é de que ela teria falecido no início da tarde.

Em junho de 2021, Ludmila Ferber anunciou a suspensão do tratamento contra a doença após ineficácia. Segundo ela, percebeu-se por meio de exames e consultas de que o quarto tratamento na qual deu início em março, a base da medicina nuclear, não teria surtido o efeito desejável.

A cantora enfrentava um câncer no pulmão com metástases no fígado e nos ossos. Atualmente realizava o quinto tratamento, desde o início da descoberta do câncer. No entanto, havia informado que essa nova fase exigiria muitos cuidados.

Ludmila Ferber era também compositora. Considerada uma das maiores cantoras gospel do Brasil ficou conhecida, inicialmente, como integrante do grupo Koinonya. Atuou no grupo entre 1992 e 1999 ao lado de músicos como Bené Gomes, Kleber Lucas e Alda Célia.

Ao longo da carreira, Ludmila foi indicada e vencedora em várias categorias no Troféu Talento e recebeu indicações ao Troféu Promessas. Além disso, teve suas músicas regravadas por vários artistas. Nascida no Rio de Janeiro, Ludmila deixa três filhas, Daniela Ferber Lino, Ana Lídia Ferber Lino e Vanessa Ferber Lino.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Gospel Minas