Tubarão

Com as altas temperaturas na natureza tudo cresce rapidamente. Nas áreas urbanas, por exemplo, com um pouco de descuido o mato acaba por tomar conta do quintal de casa e também, de terrenos baldios. Se ainda tiverem entulhos se tornam o local ideal para a procriação de animais peçonhentos como aranhas, escorpiões, cobras, inclusive o mosquito da dengue. Estes animais passam a maior parte do tempo escondidos, podem causar acidentes e sérios problemas de saúde, gerando grandes transtornos.

Moradores do bairro São João margem esquerda, em Tubarão, convivem com acúmulo de mato alto, abandono de terrenos e a presença de animais peçonhentos há alguns anos. Eles cobram ações da prefeitura, mas a administração afirma que a responsabilidade é dos donos das áreas.

Segundo uma moradora, o mato alto tem propiciado um ambiente favorável para assaltos. “Pedimos aos responsáveis ou a prefeitura, que cortem os matos dos lotes baldios, antes que ocorra algo pior com qualquer transeunte ou morador. Mato alto e sujeira provocam risco de proliferação do mosquito da dengue, vale lembra que dengue mata”, enfatiza.

Em várias cidades do Brasil, mato e lixo não deveriam, mas são comuns. Na região, a situação não é diferente. Ainda na localidade, os moradores afirmaram que há muito tempo nenhuma limpeza é realizada no terreno. “Não sabemos quem são os donos do local, mas precisamos que ele tome providências”, relata um morador.

Indagado, o secretário de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento, da prefeitura de Tubarão, Marconi Joaquim de Oliveira, destaca que há fiscalização dos terrenos em diversos bairros. “Quando há denúncia fiscalizamos o terreno, notificamos o proprietário e solicitamos o procedimento cabível. Caso não ocorra, haverá multa. No município, a limpeza de terrenos baldios deve ser realizada pelos seus referidos proprietários”, pontua.