Moradores fecharão a rua todos os dias até que uma providência seja tomada.
Moradores fecharão a rua todos os dias até que uma providência seja tomada.

Karen Novochadlo
Tubarão

Os moradores da rua Tereza Cristina, no bairro Oficinas, em Tubarão, realizaram um manifesto ontem à tarde. Cansados de esperar pela limpeza da estrada, eles trancaram a passagem de veículos por um curto período de tempo. Além da limpeza, os cidadãos reivindicam melhorias na iluminação pública.

A intenção dos moradores é trancar a rua todos os dias até que as providências sejam tomadas. A falta de iluminação transformou o local em um ponto de tráfico e uso de drogas e prostituição.

O eletricista Cleber Esmeraldino Alves, 29 anos, explica que assaltantes e ladrões aproveitam os terrenos baldios para se esconder da polícia. Um dos proprietários já se cansou de arrumar a cerca, que é estragada constantemente pelos bandidos.

Além disso, lixo e entulho despejados são por terceiros durante a noite tornam o lugar um verdadeiro criadouro de mosquitos, ratos e baratas. “Tem gente que vem de carroça, caminhão”, conta o aposentado Oto Boneli.

E foi exatamente o lixo jogado na rua que se transformou em barreira. Tem sofá, privada… Tudo retirado pelos próprios moradores próximo à boca de lobo. Isto sem contar o mato, que já passa dos dois metros de altura.

O outro lado

• Iluminação
A prefeitura de Tubarão assumiu a responsabilidade pela iluminação pública há cerca de um ano, por meio da Cosip. A coordenadora do departamento, Reneuza Marinho Borba, explica que ainda é elaborado um edital de licitação para a compra de luminárias e postes. Por enquanto, não existe material para beneficiar os moradores da rua Tereza Cristina. De qualquer forma, Reneuza garantiu que a solicitação dos moradores está anotada e será uma prioridade assim que o material chegar.

• Limpeza da rua
Segundo os moradores da rua Tereza Cristina, no bairro Oficinas, a secretaria de serviços públicos da prefeitura de Tubarão já foi acionada várias vezes. Porém, até o momento, o serviço não foi executado. O Notisul telefonou para o gestor da pasta, Fabiano Bitencourt, ontem. Mas ele não atendeu e não retornou as ligações.