A moradora do bairro São Martinho, em Tubarão, Nini Marlene Domingos (62 anos), corre contra o tempo para construir sua casa. Ela mora de aluguel e precisa entregar a casa até o fim deste ano a pedido do proprietário.

Dona Nini tem um terreno para construir a casa nova, porém, não tem condições de comprar o material nem pagar mão de obra. A idosa é pensionista e tem um salário de R$ 800.

Em janeiro teve a casa interditada pela Defesa Civil porque estava caindo. Procurou ajuda da prefeitura e hoje recebe como auxílio  aluguel social para poder pagar as contas e comprar comida.

A moradora pede ajuda para construir uma casa de madeira. Para a construção ela espera contar com ajuda do filho e amigos que pretendem fazer um mutirão.

Pouco tempo depois de a Defesa Civil interditar a residência de Dona Nini a estrutura desabou e ficaram entulhos no terreno. “Queremos sair do aluguel social e dar oportunidade a outras pessoas, mas infelizmente não tenho dinheiro para arcar com os custos”, disse.

Dona Nini mora com o filho Alexsandro Ribeiro Domingos (42), que reforça o pedido da mãe. “Não queremos uma casa grande, só o suficiente para morar com dignidade”.

Alexsandro está afastado das atividades laborais por orientação médica e recebe um salário por mês. Ele sofre de esquizofrenia e faz tratamento com medicamentos muito fortes, já internado diversas vezes por conta da doença.

Aluguel Social

O Aluguel Social é um recurso assistencial mensal destinado a atender, em caráter de urgência, famílias que se encontram sem moradia. É um subsídio concedido por período de tempo determinado. A família beneficiada recebe uma quantia equivalente ao custo de um aluguel popular.

De acordo com a Gerente da Fundação de Desenvolvimento Social de Tubarão, Kelly Botega Fortunatto Delpizzo, o beneficiário tem direito a ficar 6 meses e o prazo de Dona Nini acabou em julho.

“Ela pediu uma prorrogação porque não encontrou uma forma de construir a casa própria, então prorrogamos até outubro, depois deste período pode ser prorrogado para mais 6 meses se precisar”.

Mas Dona Nini pretende sair do aluguel social. “Mesmo que a gente tenha o prazo estendido depois de outubro, ainda teremos que procurar outro lugar para morar. Tendo nossa casa não precisaremos mais da ajuda da prefeitura”.

Kelly explica que a prefeitura não tem recursos para construir casas habitacionais, mas pode ajudar de outras formas. “Se Dona Nini precisar podemos ajudar com materiais para a construção, por exemplo, só procurar a fundação e reportar a necessidade”.

Quem tiver interesse em ajudar pode ligar para Dona Nini no telefone 9 9966-0552.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul