Florianópolis/Roma

A jovem Amanda Refatti Viezzer, de 19 anos, moradora de Florianópolis, está presa em Roma, na Itália, informou nesta sexta-feira (28) a Delegacia de Polícia de Pessoas Desaparecidas de Santa Catarina (DPPD-SC). Segundo a Polícia Civil, ela foi barrada na imigração do aeroporto com 3 quilos e 200 gramas de cocaína escondidos em um fundo falso de uma mala. A suspeita é de que Amanda tenha sido aliciada para o transporte de drogas.

A família chegou a comunicar o desaparecimento da jovem no último sábado (22). Na mesma data, conforme a polícia, a jovem foi presa. Ela deve responder por tráfico internacional de drogas, com pena de dois a seis anos.

De acordo com a polícia, uma advogada do consulado do Brasil na Itália está em contato com a família de Amanda. Segundo a DPPD-SC, tanto a polícia italiana quanto a brasileira estão envolvidas no caso, mas as investigações estão em sigilo. A reportagem tentou contato com a família, mas até a publicação ninguém comentou a prisão.

Ainda segundo a polícia, somente em 2017, duas mulheres e um homem de Santa Catarina foram presos na mesma situação em aeroportos internacionais, aliciados pelo tráfico de drogas.

Amanda foi retida na imigração do Aeroporto de Roma, na Itália. A família, que mora em Florianópolis diz ter falado com a jovem na quarta-feira (26).

Amanda viajou para fazer um curso de italiano, conforme os familiares. Ela é aeromoça e queria se tornar piloto de avião. O Ministério de Relações Exteriores informou que está a par da situação e que o consulado brasileiro está dando todo o apoio necessário à família.