Zahyra Mattar
Tubarão

Se há algo que ninguém pode dizer do prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), é que ele foge das perguntas, ou melhor, de dar respostas. Mesmo em Brasília, Dr. Manoel prometeu que se pronunciaria sobre a questão do ‘morador’ do museu e da falta de assistência à população de rua. E o fez. Da capital, após o encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), telefonou ao Notisul.

Bem humorado e sem se furtar de qualquer indagação, o prefeito de Tubarão prometeu que priorizará o caso do ‘morador’ do museu e colocará em prática uma nova política para que situações como esta tenham soluções mais rápidas, ágeis, dentro da lei. O prefeito não utilizou do artifício da argumentação para justificar falhas, pensou na solução e anunciou: “Volto amanhã (hoje) e vamos priorizar a questão”, confirmou.
Betoncini admititu que o trabalho deve ser feito pela secretaria de assistência social (SAS), mas ponderou que é preciso organizar uma equipe multisetorial, com auxílio das pastas da saúde e de segurança e trânsito para poder abordar os andarilhos e moradores de rua com maior propriedade.

Quanto ao caso específico do ‘morador’ do museu, o prefeito garantiu que uma equipe da SAS abordou o homem, mas ele dispensou a ajuda. “Confesso que não sei detalhes, mas sei que ele não é dos mais fáceis. Nem por isso devemos desistir”, pontua Bertoncini. Quanto aos 12 pontos onde pessoas dormem ao relento em Tubarão – embaixo de pontes e praças, por exemplo – o prefeito admitiu que existe dificuldade.

“No caso dos ciganos, por exemplo, eles são nômades e gostam de viver assim. Precisamos respeitar seu modo de vida. No caso deles, a SAS disponibiliza atendimento médico e alimentação, quando precisam. Para o restante, vamos achar uma solução, criar uma nova política”, tranquiliza.

Verba está garantida.
Falta levar os projetos

Agora é oficial. Em breve, obras importantes de recuperação de pavimentação e de macrodrenagem serão executadas com verba federal. Ontem, o prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), o vice, Felippe Luiz Collaço (PP), o Pepê, e o secretário de administração, Carlos Eduardo de Bona Portão, participaram de encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de onde saíram com os R$ 4,9 milhões prometidos à cidade no começo do ano.

“O próximo passo é finalizar alguns projetos e apresentá-los. Falar em tempo é sempre ruim, porque a gente coloca data e às vezes falha. Mas acredito que, no fim de agosto, começo de setembro, as obras já comecem”, comemora o prefeito. A comitiva tubaronense foi recepcionada pelo secretário nacional de saneamento básico, Leodegar Tiscoski, um dos responsáveis por disponibilizar o recurso ao município.

A verba que o trio tubaronense trará de Brasília será destinada a três projetos apresentados ao presidente no início do ano: monitoramento do Rio Tubarão com as estações meteorológicas (avaliado em R$ 480 mil – R$ 400 mil do governo federal e R$ 80 mil da prefeitura – leia mais sobre esta obra na página 6 desta edição); estações elevatórias no Pantanal e na avenida Padre Geraldo Spettmann (R$ 499 mil – R$ 399 mil da União e R$ 100 mil do município); e drenagem urbana (R$ 4 milhões – R$ 3,7 milhões federais e R$ 300 mil da prefeitura).