A modelo Haeixa Pinheiro divulgou um vídeo nesta sexta-feira (28) afirmando que vem sofrendo ataques racistas em uma rede social. Segundo ela, que foi a primeira miss Joinville negra, em 2019, os comentários ofensivos começaram quando o reality show do qual ela está participando veio ao ar.

“Desde o primeiro episódio, eu recebi alguns comentários. Mas, nas últimas duas semanas, isso tem se intensificado. São comentários muito pesados. É uma vergonha que em pleno século 21 esse racismo, esse preconceito, ainda exista, pelo tom de pele”, disse Haeixa no vídeo, divulgado também nas redes sociais.

Ela se emocionou ao falar sobre representatividade. “Não é a primeira vez que eu passo por isso, tenho certeza que não será a última, infelizmente. Tenho orgulho de quem eu sou, de tudo o que eu sou. Fui a primeira miss Joinville negra, princesa da Festa das Flores negra. Trago comigo uma representatividade muito grande”, afirmou.

Haeixa também relembrou episódios em que sofreu preconceito anteriormente. “Quem me conhece há mais tempo sabe o quanto eu e minha mãe trabalhamos para eu estar onde estou hoje. Passei por muitos desafios para ser quem eu sou hoje. Racismo na escola, quando era pequena, racismo na faculdade, no relacionamento, quando ganhei títulos de concursos e até mesmo no meu trabalho que, por mais dinâmico que seja, ainda temos algumas situações complicadas! Nada disso me derrubou”, afirmou.

Haeixa tem 28 anos e nasceu em São Francisco do Sul, também no Norte catarinense. Ela morou na cidade por 17 anos. Ela começou a carreira de modelo após se mudar para Joinville, o maior município do estado, onde ficou por 10 anos. Atualmente, mora em São Paulo.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: G1