Tubarão

Um protocolo assinado nesta sexta-feira pelo prefeito Joares Ponticelli e o engenheiro Oscar Baldivieso, da equipe técnica do Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), definiu a sequência da missão que poderá conceder ao município o financiamento para uma série de obras de infraestrutura e mobilidade urbana.

A missão de identificação dos locais em que a prefeitura pretende executar as obras também revisou documentos e projetos e, estabeleceu iniciativas e prazos que o município deve cumprir. Até o próximo dia 30, deve ser enviada a Fonplata as versões finais dos memoriais descritivos, junto com os orçamentos estimados para cada uma das obras.

A prefeitura fará a contratação de uma empresa especializada para elaboração de alguns projetos. Ainda neste mês, Tubarão receberá uma segunda e última missão do Fonplata, que terá como finalidade observar questões relacionadas aos impactos e licenças ambientais.

No protocolo, Baldivieso registra que a missão agradece ao apoio dado pelas autoridades e técnicos do município, que permitiram o desenvolvimento bem-sucedido das atividades programadas, que serão postas à consideração das autoridades superiores do Fonplata. O último compromisso do dirigente do banco em Tubarão foi uma visita à sede da Fundação Municipal de Meio Ambiente (Funat), na companhia do diretor-presidente da Funat, Guilherme Antunes e do prefeito Joares Ponticelli.

 “Ficamos muito satisfeitos com a visita do engenheiro, que é o gerente do projeto de financiamento para a nossa cidade. Ele fez uma avaliação positiva da escolha das obras e do nível dos projetos apresentados. Ele nos adiantou que como estamos com o processo bastante acelerado, temos a expectativa de em setembro poder lançar os editais das primeiras obras e, até o final do ano, assinar os contratos com a ordem de serviço com o Fonplata, aportando recursos ainda nesta ano”, destacou o prefeito.

 O vice-prefeito Caio Tokarski também ficou com boa impressão dos dois dias da missão. “O representante do Fonplata teve uma concepção da importância dessas obras para o processo de crescimento da cidade. De maneira geral, a missão foi bastante satisfatória. Estamos empolgados porque aquilo que se planejou nos últimos dois anos e meio foi ao encontro do que o banco pensava, enfatizou.

 O financiamento do Fonplata precisa, ainda, de aval político da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal e da Câmara de Vereadores, mas a recente aprovação dessa demanda junto à rigorosa Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), do Ministério do Planejamento, deixou os gestores tubaronenses otimistas para um desfecho positivo para a Cidade Azul.