Brasília (DF)

O ministro dos transportes, Alfredo Nascimento (PR), pediu demissão do cargo ontem. A saída está relacionada a uma série de denúncias publicadas pela revista Veja, quanto a um esquema de cobrança de propina no ministério comandado por Nascimento.
De acordo com a revista, a propina era paga para o partido do ministro. Nos últimos dias, quatro integrantes do ministério foram afastados, incluindo o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), Luiz Antonio Pagot.

O ministro deverá assumir a sua vaga de senador pelo Amazonas e a presidência nacional do PR. Nascimento colocou-se à disposição para esclarecimentos. Ele também pediu a abertura de investigação e autorizou a quebra dos seus sigilos bancário e fiscal.
Em seis meses de governo, a presidenta Dilma Rousseff fez quatro alterações no primeiro escalão.

O primeiro a cair foi Antonio Palocci, da Casa Civil, acusado de enriquecimento ilícito. No rescaldo da queda de Palocci, homem que cuidava no Planalto, em grande parte, das conversas com deputados, senadores, governadores e prefeitos, Dilma Rousseff teve que fazer ajustes na articulação política e remanejou o ministro Luiz Sérgio, da secretaria de relações institucionais para a pasta da pesca.
Em troca, a ministra Ideli Salvatti, que ocupava a pasta da pesca, assumiu a de relações institucionais.