O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira que o número de infectados por coronavírus no Brasil é de 60 pessoas, mas afirmou que os dados contêm defasagem de contabilização e não possuem todas as informações das Secretarias Estaduais. Mais cedo, o titular da pasta, Luiz Henrique Mandetta afirmara durante visita ao Rio de Janeiro que são 73 pacientes. “Não temos todos os dados”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, em apresentação em Brasília. Ele ressaltou alguns locais devem chegar em breve a cem infectados. “A partir disso, vamos monitorar os casos que entram em hospital”, explicou.

O secretário explicou as portarias, lançadas na quarta-feira, que regulamentam isolamento e quarentena. Aquele se dará, preferencialmente, em domicílio, mas pode ser feito em hospitais conforme recomendação médica, dependendo do estado clínico do paciente, que precisa ser notificado em ambos os casos. Já a quarentena é determinada por ato administrativo formal e devidamente motivado, com prazo de até 40 dias. “A quarentena é uma medida restritiva. Na quarentena eu tenho o objetivo de garantir a manutenção do serviço de saúde em uma certa área”, disse Oliveira.

“Estamos a uma semana do outono. Nosso plano é para o período de outono-inverno. Amanhã apresentaremos uma série de medidas não farmacológicas, que estimulam a atividade para reduzir o contato, o fluxo em determinadas condições. Ainda não temos transmissão comunitária do Brasil. Pelo menos neste momento. Estamos preparados para todas as situações”, disse Oliveira, que ressaltou que a partir do próximo dia 18, todos os Estados estarão aptos para a realização de testes de coronavírus.

‘Mais Médicos’

Nesta quarta-feira, foi publicada uma edição extraordinária no Diário Oficial da União (DOU) com 5,8 mil vagas chamando para o Programa Mais Médicos, com contratação de um ano para pessoas com CRM ou diploma rivalidade. Cada candidato vai escolher até quatro municípios e terão prioridades aqueles com títulos de especialista ou residência em Medicina da Família e Comunidade. A estimativa é de que comecem a trabalhar até 7 de abril.

Como prevenir o contágio do coronavírus

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.

• não compartilhar objetos pessoais.