Noivas e noivos passam por uma “maratona” de decisões e escolhas antes de dizer a famosa frase “sim, eu aceito”.

Lysiê Santos
Tubarão

Quando duas pessoas tomam a decisão de se casar, fazem cheios de expectativas. Nada mais natural para os apaixonados que decidirem celebrar o amor. O casamento é um momento singular na vida do casal. Um ato de união e entrega mútua. É um sonho e todo sonho precisa ser planejado.

Esse grande dia envolve centenas de etapas repletas de decisões importantes que farão toda a diferença no momento da cerimônia. Maio é considerado o Mês das Noivas, e geralmente são elas que se dedicam com mais afinco à organização do dia tão sonhado e as dúvidas as acompanham. Serão meses de planejamento… E agora, qual o modelo do vestido? O que fazer no cabelo? Qual maquiagem está na moda? O que vamos servir no buffet? E a música? E o bolo? Os detalhes são incontáveis e as emoções e a ansiedade afloram.

A jornalista Priscila Castro Ladislau, 26 anos, de Pescaria Brava, vivencia essa experiência de ser noiva. No dia 10 de junho, ela e o servidor público federal Luiz Antonio Custódio da Luz, 29, celebrarão o amor e o relacionamento que iniciou há oito anos. “Esta tem sido a melhor fase, pois estamos construindo algo concreto juntos. Já compramos um apartamento e estamos na reta final para o casamento. Estamos definindo os detalhes para que esse dia seja marcante para nós e para nossos convidados”, conta Priscila.

Especialista relata os detalhes do “Dia da Noiva”
O tão sonhado dia do casamento é um misto de alegria e nervosismo para homens e mulheres que decidem dizer o famoso “sim, eu aceito”. Para a noiva, o dia começa cedo. Ela passa por uma maratona de cuidados com o cabelo, unhas, maquiagem, o vestido e faz de tudo para estar linda e encontrar o amado.

A cabeleireira Márcia da Silva Bento, de Capivari de Baixo, atua há mais de 20 anos na área e é especialista em penteados para a data especial e já acompanhou dezenas de noivas. “Algumas chegam bem nervosas, mas faço de tudo para acalmá-las, afinal é o grande dia delas. Já passei por situações inusitadas com noivas. Uma vez faltavam poucos minutos para o casamento, e deu uma confusão e ninguém foi buscar a moça. Ela estava chorando muito e no fim eu tive que levá-la com o meu carro, era um dia chuvoso, mas no fim deu tudo certo, ela ficou linda, casou e está feliz até hoje”, lembra a especialista.

Ela orienta as noivas a procurarem com antecedência o profissional para atendê-la e se certificar de todos os detalhes para ter segurança e tranquilidade no dia do sim. “Maio é o meu mês. É o meu aniversário, Dia das Mães, mês das flores e quando uma noiva se casa nessa data me deixa muito emocionada e fazemos questão de atende, a mãe, as madrinhas e preparar cada uma para que estejam radiantes no casamento”, ressalta.

Como tudo começou
O amor que será oficializado no casamento do jovem casal, no próximo dia 10, passou por muitas provas durante o namoro. A jornalista lembra que tudo começou em uma parada de ônibus em Pescaria Brava, há oito anos, quando os jovens ingressaram na universidade. Os acadêmicos de Jornalismo e Direito da Unisul iniciaram uma amizade e, com o passar do tempo, perceberam que um sentimento maior surgia. “Começamos a “ficar” e em seguida a namorar oficialmente”, lembra Priscila.

Após alguns anos de namoro, Luiz Antonio passou em um concurso do Tribunal Regional de Trabalho (TRT) e foi morar em Videira, no Oeste do Estado. No entanto, a distância não foi motivo para separar o casal. “Toda a semana ele encarava cerca de dez horas de ônibus até Pescaria para nos encontrarmos. E foi nesse momento, quando a saudade aumentou, que tivemos a certeza de que queríamos estar juntos”, enfatiza.

Após alguns meses, o jovem retornou e em agosto do ano passado decidiram que queriam estreitar a união, e em dezembro oficializaram o noivado.

Origem da data
A tradição dos casamentos no mês de maio é milenar e tem origem na Astrologia e nos cultos pagãos da Antiguidade. No Hemisfério Norte, a primavera chega ao seu ápice. Com o clima ameno e a natureza exuberante nessa época do ano, diversas tradições pagãs da antiguidade também comemoravam o Beltane, festival que promove o casamento cósmico entre o masculino e o feminino. Nascia assim, há milhares de anos, a tradição de unir casais durante o mês de maio, ou simplesmente durante a primavera do Hemisfério Norte (maio, junho e julho). Essa mesma ligação com as flores e a feminilidade fez com que maio, além de mês das noivas, também fosse considerado o mês das mães e de Maria. No entanto, vale esclarecer que esse não é o mês com o maior número de casamentos – na verdade, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dezembro é o mês preferido para dizer sim, especialmente por causa do 13º salário e das férias de fim de ano.