Um menino que passou anos sem comer frutas e legumes ficou cego em decorrência da falta de nutrientes em sua dieta. Aos 17 anos, o adolescente já estava há uma década sem comer frutas e legumes e ficou completamente cego.

O jovem começou a ficar cego aos 14 anos devido a uma condição conhecida como Neuropatia Óptica Nutricional. Esta condição ocorre devido a falta de nutrientes essenciais, como vitamina B12 e vitamina D, e leva a danos permanentes no nervo ótico que causam a cegueira.

A dieta do rapaz durante mais de uma década consistiu em batatas fritas, pão branco e carnes processadas, como presunto e salsicha. Seu peso e altura são normais, mas a falta de nutrientes importantes em seu organismo acabou causando o grave problema de visão. Infelizmente, o dano causado no nervo óptico do adolescente fez com que sua cegueira fosse irreversível.

Em entrevista ao jornal britânico The Times, o rapaz desabafou sobre estar cego. “Eu acabei ficando muito isolado, antes eu saia para jogar futebol, sair com os amigos, mas agora eu não faço mais isso”, afirmou o rapaz, que não quis se identificar.

Ele também alegou que os médicos não o orientaram corretamente quando ele começou a apresentar os primeiros sintomas da perda da visão. “Os médicos só passaram a me perguntar sobre a minha dieta quando eu já havia perdido boa parte da visão! Quando eu pedi ajuda eles não me ouviram”, afirmou o adolescente.

A mãe do rapaz precisou lagar seu emprego para cuidar do filho. O adolescente também precisou parar de estudar. “A visão dele foi sumindo muito rápido! Eu precisei deixar meu emprego para cuidar dele. Agora eu cuido dele o dia todo”, afirmou a mãe.

O caso do adolescente foi divulgado na revista científica Annals of Internal Medicine. O médico que analisou o caso, Dr. Denize Atan, falou sobre o assunto em entrevista ao jornal britânico Daily Mail. “Ele só comia batatas fritas, Pringles, salsicha e outras comidas processadas desde o primário. É o caso mais grave de cegueira causada por ‘porcarias’ que eu já vi”, afirmou o médico.