Victor Gabriel Jardim, de dez anos, fez um pedido pouco comum neste Natal. Na cartinha enviada ao Papai Noel, que foi entregue na casa instalada na praça João Corrêa, no centro de Canela, ele não pediu brinquedos nem nada para si. Victor queria fazer o avô Adelir Jardim voltar a sorrir. “Querido Papai Noel. Neste Natal, eu não quero presente. Gostaria que o senhor conseguisse uma dentadura para que meu avô voltasse a sorrir”, escreveu.

O pedido singelo comoveu o cirurgião-dentista Felipe de Oliveira Lucena. “Meus pais conhecem a família do seu Adelir. Fizemos uma corrente para atender ao pedido. Meu pai e o laboratório entraram na ação e corremos contra o tempo para concluir o serviço antes do Natal”, conta Lucena.

Na última quinta-feira, Adelir e os netos Victor Gabriel e Francisco foram ao consultório buscar a prótese dentária. “Fizemos a arcada superior e vamos terminar a parte inferior em janeiro. O importante era resgatar a autoestima do paciente antes do Natal”, comemora Lucena. Para homenagear a sensibilidade do garoto, o dentista deu uma bola de futebol para Victor. “Ele não podia ficar sem presente no Natal. Sou grato por poder ajudar.”

Lucena adotou várias cartas em parceria com amigos. Outra comoveu o grupo, a de uma criança que pedia leite, e uma grande mobilização foi iniciada para ajudar mais famílias. Em um dia, a turma arrecadou 2,5 mil litros de leite.

Adelir revela que tentava obter atendimento na rede pública havia dois anos. Neto e avô moram juntos e são muito apegados. “Eu conversava colocando a mão na frente da boca de vergonha. Ele fez a cartinha e pediu para irmos entregar na Casa do Papai Noel, mas eu não imaginava o que estava pedindo. Foi uma surpresa quando me contaram”, diz.

O projeto Cartas do Sonho é uma campanha do 32° Sonho de Natal de Canela. Em função da grande demanda de pedidos que chegava à Casa do Papai Noel, a Secretaria de Turismo e Cultura lançou a ação e rapidamente mais de 300 cartinhas foram adotadas. “O povo canelense foi muito solidário. O mais impactante foi percebermos que quase 100% pediam cesta básica e uma ceia de Natal”, diz Luana Drago, que trabalhou diretamente com a triagem na Central de Informações ao Turista.