#Pracegover Foto: na imagem há uma criança, uma mulher, frasco de álcool em gel, sofá, balcão
#Pracegover Foto: na imagem há uma criança, uma mulher, frasco de álcool em gel, sofá, balcão

Estudos divulgados em abril passado apontaram que, depois de imunizadas com vacinas contra a covid-19, as mulheres que amamentam produzem leite com anticorpos contra a doença. Em Tubarão, o caso pôde ser confirmado com a profissional de saúde Maryucha Miranda de Oliveira, que recebeu as duas doses da vacina AstraZeneca.

Maryucha é mãe de Joaquim de Oliveira Fogaça, de 2 anos. Após exames laboratoriais, foi possível saber que a criança apresentou anticorpos por meio da amamentação. Joaquim luta contra uma doença que baixa sua imunidade.

A profissional de saúde destaca que o resultado foi motivo de comemoração. “ Reforço a importância do aleitamento materno e também da imunização. Amamentar nem sempre é fácil. Porém, os benefícios são inúmeros e o resultado é grandioso. Sempre seguimos pela fé e isso foi mais uma vitória”, assegura.

Uma análise realizada pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP), a partir de mais de 100 estudos clínicos, concluiu que mães imunizadas contra o coronavírus passam anticorpos para os bebês pelo leite materno. Conforme a pesquisa, os anticorpos podem prevenir a infecção ou reduzir a gravidade dos sintomas dos bebês.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul