#Pracegover foto: na imagem há uma via, pessoas e um veículo
#Pracegover foto: na imagem há uma via, pessoas e um veículo

O maior roubo da história do país completa nesta terça-feira (30) um ano. No final da noite do dia 30 de novembro de 2020, um grupo de criminosos fortemente armado invadiu o município de Criciúma e levou R$ 125 milhões da tesouraria regional do Banco do Brasil. Os bandidos bloquearam ruas, fizeram reféns, provocaram destruições e balearam no abdômen o soldado Jefferson Esmeraldino. O agente policial passou por procedimentos cirúrgicos e após um ano segue acamado com cuidados de enfermagem 24h.

Jefferson não anda, nem fala e é dependente de outras pessoas para alimentação e outras necessidades. Conforme o Ministério Público (MP), 18 suspeitos de participarem dessa ação já foram identificados e denunciados à Justiça em duas ações penais, que tramitam sigilo. O MP afirma que dez seguem presos preventivamente – cinco deles em penitenciárias federais.

Segundo o órgão, seis tiveram a prisão preventiva substituída por medidas cautelares diversas, como o monitoramento eletrônico. Outros dois, com prisão preventiva decretada, estão foragidos. A Polícia Civil está à frente das investigações, com apoio de uma força-tarefa designada pelo procurador-geral de Justiça, Fernando da Silva Comin, formada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e pelos promotores de Justiça com atuação na área criminal na Comarca de Criciúma.

Atualmente, Esmeraldino vive na casa da família com tudo improvisado, no entanto,  a situação deve mudar. A família conseguiu por meio de doações comprar uma casa nova com um quarto adaptado para o policial e devem se mudar em breve. “O tiro não atingiu só ele, atingiu a família toda. A gente está sofrendo até muito mais do que ele, mas eu dou graças a Deus por ter me dado a vitória de cuidar dele”, pontua a mãe do soldado, Sandra Aparecida Nunes

Em setembro, o soldado chegou a fazer uma cirurgia para uma válvula no cérebro, uma vez que está com hidrocefalia. Porém, o soldado pegou uma bactéria e precisou retirar o equipamento.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Foto: Reprodução/NDTV

Fonte: Com informações NDTV e NSCTV