Foto: Tribunal de Justiça de Balneário Camboriú/Divulgação

O médio e bacharel em direito, Marcelo Augusto Baroni Sader, foi condenado, nesta sexta-feira, 26, a mais de 12 anos de prisão por atropelar propositalmente um casal. O caso aconteceu em agosto de 2015, por volta das 21h, na BR-101, em Balneário Comburiu.

Marcelo estava alcoolizado quando colidiu com a traseira do carro em que estavam as vítimas, Adriano Alfred Schutz e Eleia Zumach Schütz.

Depois da colisão, o casal desceu do carro para conversar com Marcelo, que deu a ré no carro e avançou com sobre o casal, atropelando os dois. Uma das vítimas caiu no chão e ficou presa embaixo do veículo, mas Marcelo continuo acelerando, até que foi impedido de continuar por uma pessoa que assistia tudo, quebrou o vidro do motorista e retirou a chave da ignição.

As vítimas sofreram graves ferimentos. Adriano teve lesões no tornozelo e no pé, e Elaine sofreu fraturas no tornozelo e na pelve, e precisou fazer três procedimentos cirúrgicos.

No julgamento, o Júri Popular de Balneário Camboriú entendeu que o acusado cometeu crime qualificado, uma vez que o réu conseguiu ferir as vítimas, por motivo fútil.

A pena aplicada pelo Juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Balneário Camboriú, foi de 12 anos, quatro meses e cinco dias de reclusão. A pena se tornou maior em função do réu ser médico, e assim sua culpabilidade é acima do normal. A sentença é passível de recurso.

*Com informações do portal O Município