Laguna

As obras de implantação do emissário terrestre da Bacia A, no bairro Mar Grosso, foram iniciadas na manhã desta segunda-feira. Como consequência o emissário submarino, construído em 1986, será desativado.

A execução do serviço é feita pela empresa Incosan, de São José, que venceu a licitação, no valor de R$ 1,89 milhão, oriundos da Caixa Econômica Federal (CEF), com contrapartida da Casan, com à mão de obra e materiais. Os trabalhos de desativação e direcionamento para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), da Vila Vitória devem durar três meses. Ao todo, são 2,7 mil metros de extensão de rede e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno.

“Nossa intenção é concluir essa obra antes do prazo, quem sabe antes do verão e do Natal. Acreditamos que vá dar certo”, destaca o chefe da agência da Casan de Laguna, Giovani Pickler.
Segundo a direção da Casan, a ação dará mais segurança à operação de todo o Sistema de Esgotamento Sanitário do município, ao transportar o esgoto coletado na Bacia A (que abrange a praia do Mar Grosso) até a Estação de Tratamento da Vila Vitória. A nova rede evitará a repetição de obstruções, como a que ocorreu em dezembro passado, com o entupimento da estrutura, o que causou grandes transtornos durante a alta temporada.

O engenheiro Alcides Pazetto, sócio-proprietário da Incosan reforça a intenção de entregar a obra antes do prazo previsto. “Temos um compromisso com a Casan e com a comunidade de tentar reduzir o prazo o máximo possível. Há uma ideia de deixar esse sistema funcionando, pelo menos a parte principal, para o início de dezembro”, garante.

Em paralelo à implantação da rede, a empresa substituirá bombas da Estação Elevatória A, instalará novo gradeamento e providenciará a urbanização e paisagismo do local, uma área nobre de Laguna, a 100 metros da praia.

De acordo com Pickler, o emissário submarino só será acionado em caso de emergência. “Vamos deixar a chaminé como opção caso dê algum problema. Deixaremos um registro, se ocorrer alguma coisa, abriremos esse dispositivo”, finaliza.

Atualmente, o esgoto das residências e estabelecimentos comerciais, localizados entre a região das praças Francisco Pinho e Nelson Moreira (praça do Villa), é transportado por tubulações subterrâneas até uma estação elevatória situada próximo ao Hotel Renascença. Lá, os resíduos passam por um gradeamento, promovendo um condicionamento prévio dos sólidos maiores, porém, sem impedir a passagem de objetos menores. A antiga estrutura do emissário submarino possui 1,5 quilômetro de extensão com 12 metros de profundidade.