Braço do Norte

Fiscais da Vigilância Sanitária de Braço do Norte inspecionaram os estabelecimentos que possuem câmaras de bronzeamento artificial no município. A vistoria visou cumprir o determinado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no começo do mês passado.

Uma resolução do órgão proibiu o uso dos equipamentos para bronzeamento artificial para finalidade estética. A importação, recebimento em doação, aluguel e a comercialização desses equipamentos também estão proibidas.
Em Braço do Norte, apenas dois estabelecimentos no município possuem este tipo de equipamento. Ambas as máquinas foram interditadas e os fiscais explicaram às proprietárias dos salões a nova regra e suas implicações. A equipe fará novas vistorias de rotina, conforme estipula a Anvisa.

As empresas que não cumprirem a decisão estão sujeitas a penalidades que vão de advertência, interdição até multas, que podem variar de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.
A Anvisa proibiu o uso das câmaras de bronzeamento artificial com base em um estudo da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer, órgão ligado à OMS, que indica que a prática do bronzeamento artificial aumenta em 75% o risco do desenvolvimento de melanoma em pessoas que se submetem ao procedimento até os 35 anos. A partir de agora, estes equipamentos poderão ser utilizados apenas em consultórios médicos e odontológicos.