O ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou nesta sexta-feira (20) que o exame médico “é do paciente”. A declaração foi dada em resposta a pergunta de um repórter do jornal O Estado de S. Paulo, que questionou se o presidente Jair Bolsonaro divulgaria que seus testes deram negativo para o novo coronavírus (covid-19).

Bolsonaro já passou por dois testes para detectar se está ou não contaminado pela covid-19, porque auxiliares próximos como os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) deram positivo para a doença. Para o presidente, no entanto, os dois resultados deram negativo.

Ele deixou em aberto a possibilidade de passar por novo teste nos próximos dias. Seria o terceiro. Na manhã desta sexta-feira, disse que não haveria “problema nenhum” de testar novamente. Já o ministro afirmou que, em seu caso, além de ter contato próximo com pessoas que foram contaminadas, ainda tem dentro de casa a mulher, que é médica e atua no Hran (Hospital Regional da Asa Norte), local de referência ao combate à pandemia em Brasília.

Mandetta afirmou que só vai fazer os testes se começar a ter sintomas. Caso contrário, fica como está. Isso porque, segundo ele, se for por essa linha de raciocínio, todo mundo vai ter que ficar sendo testado o tempo todo. Durante a entrevista a jornalistas, Bolsonaro e os demais utilizaram máscaras descartáveis para se prevenir contra o coronavírus.