Foto: Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), da Udesc

Uma mamãe boto foi vista se despedindo do filhote recém-nascido que havia morrido. De acordo com o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), da Udesc, esse comportamento é chamado de ‘epimelético’.

Este comportamento é raro, mas descrito para várias espécies de golfinhos, onde a mãe ou algum outro membro do grupo carregam o corpo do indivíduo morto por um ou mais dias, como uma espécie de período de luto.

A última vez que algo parecido ocorreu em Laguna foi em dezembro de 2018. O primeiro registro foi no ano de 1994 em circunstâncias muito semelhantes.

A mamãe boto foi vista por pescadores nesta quarta-feira (29), e conforme a equipe do PMP-BS/Udesc, o filhote é um macho com pelo menos um dia de decomposição.

A equipe da Udesc, junto com a Polícia Militar Ambiental (PMA) recolheu o animal e encaminhou para a Unidade de Estabilização de Fauna Marinha onde está sendo feita uma necrópsia para tentar identificar a causa da morte.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul