Laguna/Imbituba/Garopaba

Em apenas dois dias, foram avistadas 284 baleias-francas entre Florianópolis e Passo de Torres, no Sul catarinense, por meio do 2º sobrevoo de Monitoramento de Cetáceos feito pela SCPar Porto de Imbituba. Entre os mamíferos, estavam cinco filhotes semi-albinos, de acordo com a análise inicial dos dados, e as baleias ‘Zimba’ (mãe) e ‘Imbituba’ (filhote) na praia do Porto, que estão catalogadas pelo Projeto Baleia-Franca (PBF).

 A maior concentração de baleias foi avistada entre Garopaba, Imbituba e Laguna. O trabalho de monitoramento aéreo abrangeu a Área de Proteção Ambiental (APA) entre Florianópolis e Balneário Rincão, e se estendeu a Passo de Torres. Entre julho a novembro é o período em que a espécie usa o litoral catarinense para acasalar, procriar e amamentar os filhotes, fazendo com que Santa Catarina se torne a principal área de concentração reprodutiva de baleias-francas na costa nacional. Esses animais têm um filho a cada três anos.

Para o Instituto Australis, possivelmente a disponibilidade de alimento aumentou e as baleias voltaram a se reproduzir e se deslocaram ao litoral do Estado em grande quantidade, o que não tinha ocorrido nos últimos anos. Segundo a SCPar Porto de Imbituba, esse foi o maior registro de baleias desde que o programa começou a ser feito pelo Porto de Imbituba, há uma década. No primeiro monitoramento aéreo de 2018, realizado na primeira quinzena de julho, foi constatada a presença de 36.

No sobrevoo realizado no mesmo período no ano passado foram avistadas somente 49 baleias. Conforme o Instituto Australis/Projeto Baleia Franca (PBF), o recorde nesse período havia sido observado em 2006: 194 baleias. O último sobrevoo da temporada está previsto para o penúltimo mês do ano. Os mamíferos avistados são catalogados por meio de fotografia das calosidades que elas têm em cima da cabeça, que são únicas para cada cetáceo, como uma digital.Aproximadamente 100 baleias-francas são registradas, em média, em Santa Catarina.