#pracegover Na foto, um macaco sobre um galho e segurando uma fruta
Foto: Assessoria de imprensa

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado de Santa Catarina confirmou mais cinco casos de febre amarela em primatas não humanos em São Martinho. Os animais foram encontrados próximos de residências nos bairros Capivaras, Rio Gabiroba, Rio São João, Vargem do Cedro e Barra Rio Sete.

Até esta sexta-feira, 9 de abril, sete macacos foram vítimas da doença no município. Outros seis primatas tiveram a causa da morte investigada, mas não foi possível atestar a contaminação pelo vírus.

“A febre amarela mata. É importante que seja dito também que os macacos não transmitem a doença e são tão vítimas quanto nós. O transmissor do vírus é o mosquito. Por isso, pedimos que todos os que ainda não tomaram a vacina contra a febre amarela procure o Posto de Saúde Central e que usem repelente”, afirmou a secretária de Saúde e Saneamento de São Martinho, Priscila Berkenbrock, que também garantiu que não há casos suspeitos ou confirmados de febre amarela em humanos na cidade.

Todos os primatas encontrados sem vida na cidade são analisados pela Vigilância Epidemiológica do Estado, que faz a coleta de material para detectar – ou não – o vírus da febre amarela no animal. A partir desse momento, seguindo protocolo, o município dá início a cobertura vacinal de toda a área, como forma de prevenir a infecção em humanos.

Com informações da assessoria de imprensa

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul