A Estação Elevatória de Esgoto (EEE) Marcolino, instalada na Praça Walter Zumblick, na avenida Marcolino Martins Cabral, já está em fase de testes e, passa a operar no Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto de Tubarão, em implantação pela Tubarão Saneamento, a partir de 1 de julho. Com o início da operação, a cidade terá cerca de 16,7% da população atendida com esgoto tratado, um aumento de 4,7% em relação a cobertura atual.

No total, com o atendimento dessa microbacia, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), do município, irá tratar aproximadamente 69 milhões de litros de esgoto por mês, o que equivale a mais de 27 piscinas olímpicas. A Estação atenderá uma parte da região central, que dependia da passagem de redes entre as ruas Vidal Ramos e Tubalcain Faraco, na avenida Marcolino Martins Cabral.

Neste trecho, por conta da geografia e composição do terreno, seria necessária a abertura de uma vala com até cinco metros de profundidade com desmonte de rocha, o que demandaria até 60 dias de trabalho, com intervenções no trânsito local e o barulho de máquinas trabalhando, impactando, principalmente, no Hospital Nossa Senhora da Conceição.

“Diante da situação, revisamos o projeto e optamos pela implantação de uma Estação Elevatória de Esgoto. A opção manteve a qualidade da obra, minimizou o impacto para a comunidade e agilizou o tempo de entrega do trabalho e início da operação para as residências e estabelecimentos comerciais dessa região”, explica o diretor da Tubarão Saneamento, Marcelo Matos.

A função da EEE Marcolino é direcionar até 13 milhões de litros de esgoto por mês, provenientes de 1.837 unidades consumidoras, para a EEE Braz, instalada no bairro Recife. A partir desta segunda Estação Elevatória (a maior de todo o Sistema), o esgoto bruto segue para a Estação de Tratamento de Esgoto Figueira, na comunidade Morrinhos. Após o tratamento, o esgoto tratado é lançado no antigo Rio Tubarão, popularmente conhecido como Rio da Madre.

As unidades consumidoras da região central, logo devem começar a receber autorização da Concessionária para se conectar na rede. “As pessoas têm a consciência de que o tratamento de esgoto é importante e, por isso, estamos com muita expectativa de que as regularizações devem ocorrer com uma certa agilidade. Ao receber o comunicado, as pessoas serão orientadas sobre como executar a etapa interna de instalação. Tudo isso ocorre de forma sincronizada”, explica o diretor da Concessionária.

Ainda, segundo a Tubarão Saneamento, à medida em que os usuários dessa região começarem a conectarem às residências ou estabelecimentos na rede, o despejo do esgoto “in natura” no rio Tubarão, que hoje fica nas proximidades das pontes, tende a acabar. “Com o tempo, isso vai proporcionar o fim dos odores e a melhoria da qualidade da água e vida do rio”, completa Marcelo.