Imagem ilustrativa

Desde a paralisação de grande parte das atividades econômicas em Santa Catarina não se fala em outra coisa a não ser em como manter em dia o salário dos catarinenses.

A preocupação é tanto no setor privado quanto no público. Os empresários não vendem, não terão como pagar funcionários e impostos. O setor público se vê na obrigação de adiar pagamento de tributos como incentivo aos empresários, mas sabe que o caixa ficará vazio e também não vai conseguir honrar com a própria folha de pagamento.

Os próximos meses ainda é uma incógnita para muita gente. Mas para o empregador sem dúvida a única saída é atraso ou parcelamento no pagamento de salário e o que ninguém quer, a demissão.

De acordo com o presidente da CDL de Tubarão, Rafael Silvério, o mês de março será  menos complicado para pagamento de salários já que a economia andou mais ou menos bem até a segunda quinzena de do mês. Embora as coisas já estejam difícil para muitos há bastante tempo.

“Alguns empresários vão conseguir pagar o salário dos funcionários em dia pelo menos neste mês, ou no outro, quem sabe. Mas não temos como saber o que vai acontecer depois porque hoje as lojas não estão faturando”.

Como incentivo, a prefeitura de Tubarão anunciou o adiamento no pagamento de tributos empresariais. E como as medidas foram tomadas nesta semana, o município ainda consegue honrar o pagamento de salário no mês de março aos servidores.

O prefeito Joares Ponticelli não descarta a possibilidade de demissões de comissionados para manter o salário dos funcionários efetivos.

“Vai vir um tempo de muitas dificuldades sem a arrecadação destes impostos e teremos que ter serenidade. Estamos focados agora no enfrentamento ao coronavírus e muito preocupados, mas vamos encontrar uma solução para amenizar o impacto econômico que é inevitável”.