Laguna

Diagnosticado com conjuntivite alérgica grave, Kauê Nascimento Cândido, de 6 anos, de Laguna, tem problemas de visão, que acabam afetando o dia a dia dele. Até as últimas duas semanas, os colírios que o menino fazia uso não estavam funcionando e, de acordo com laudo médico do último dia 13, Kauê precisava utilizar três tipos de colírios, um deles, inclusive é manipulado.

Sem condições financeiras de arcar com os custos das medicações, a mãe da criança, Ketelin Nascimento, faz campanhas por meio das redes sociais. Ela é do lar e o pai do garoto é autônomo. “O Kauê foi diagnosticado no dia 13 do mês passado com conjuntivite alérgica grave nos dois olhos. Infelizmente já apresenta sinais de neovascularização de córnea extensa e cicatriz corneana. O meu filho precisa fazer retornos frequentes ao Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, em Joinville. Os colírios que o oftalmologista receitou têm custos altos e não tenho condições para arcar. Por enquanto, consegui com a colaboração de algumas pessoas comprar os três, mas não vão durar para sempre. Além disso, há pagamentos com exames”, explica.

No mês passado após uma campanha por meio das redes sociais, Ketelin conseguiu uma consulta com os profissionais do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, na Cidade das Flores. Há cinco anos o menino fazia o tratamento como se tivesse úlcera de córnea, porém foi em Joinville, que mãe e filho obtiveram o diagnóstico preciso.

A família do menino mora no bairro Perrixil, em Laguna. A mãe da criança conta que percebeu que seu filho apresentava o problema nos olhos com apenas 1 ano. “Levei o meu filho em vários oftalmologistas, mas não conseguimos bons resultados. Ele aguardava por tratamento pelo Sistema único de Saúde (SUS), porém a situação pedia por urgência e por isso iniciei a campanha, não dava mais para esperar, o Kauê reclamava muito. Ele sofria e ainda sofre bastante por causa da claridade. Na escola estava muito difícil de enxergar. Muitas vezes machuca, dói e irrita principalmente no sol”, lamenta.

As pessoas com qualquer uma das formas de conjuntivite alérgica sentem prurido intenso e ardor em ambos os olhos. Embora os sintomas geralmente afetem os dois olhos igualmente, raramente um olho pode ser mais afetado do que o outro. A conjuntiva fica vermelha e, às vezes inflamada, dando à superfície do globo ocular um aspecto inchado. As pálpebras podem tornar-se intensamente pruriginosas. Esfregar e arranhar leva a vermelhidão cutânea, inchaço e aparência enrugada das pálpebras. O tratamento da conjuntivite alérgica inclui colírios antialérgicos. Usar suplementos oftálmicos refrigerados e compressas frias e evitar alérgenos conhecidos pode ajudar a reduzir os sintomas.

Ela pretende angariar apenas o necessário para a manutenção do tratamento do filho com colírios e com as consultas no Norte do Estado. As doações podem ser feitas por depósito na conta de Ketelin.

Dados da conta:
Caixa Econômica Federal
Agência: 0421
Operação: 013
Conta Poupança: 00116684-1
Ketelin Nascimento
CPF: 117.034.989-76