Uma mãe decidiu alertar outras gestantes após seu menino morrer com seis dias de vida. O pequeno Julian, filho de Mat e Denise Brajkovic, faleceu após a mãe ter contraído um vírus chamado Enterovirus no final da gravidez. O pequeno nasceu uma semana após ela ter contraído esse vírus. 

Em recém-nascidos, este vírus não tem cura e é mortal. Denise contou sua história nas redes sociais para alertar outras famílias. Seu post já teve mais de 2 mil compartilhamentos.

“Dois meses atrás nosso lindo bebê menino Julian nasceu. Ele foi tragicamente tirado de nós com 6 dias de vida. Ele morreu por causa de um vírus chamado Enterovirus, a cepa que o matou é Echovirus. Eu contraí este vírus com 35 semanas de gestação. Meus sintomas eram parecidos com gripe, com calafrios fortes e dor no corpo. Quando tive esses sintomas fui no médico e fiz exames de sangue e urina”, conta.

“Tudo saiu perfeito e o bebê parecia bem. Me mandaram para casa e na semana seguinte dei à luz o Julian. Mal sabíamos nós que o vírus já havia passado para ele quando ainda estava no útero. E pior, como o tempo entre eu contrair o vírus e o parto foi curto, Julian foi infectado pelo vírus, mas não teve tempo de pegar meus anticorpos, a imunidade que vim a desenvolver para este vírus”.

“Quando o Julian nasceu era um bebê perfeitamente saudável, ou ao menos foi o que todos pensaram. No dia 3, após o parto, o Julian começou a ter alguns sintomas, que inicialmente pensamos ser coisas de recém-nascidos. Ele ficou meio molinho e não queria comer muito. No sexto dia, ficou muito letárgico e não queria comer mais nada”.

“Nós o levamos ao hospital e o os médicos ficaram chocados ao ver que tudo que tentavam fazer para salvá-lo não estava funcionando. Ele foi transferido para outro hospital onde descobriram que ele tinha o Enterovirus. Um vírus raro e mortal para recém-nascidos. Sem cura. Sem remédios que poderiam salvá-lo. Ouvir aquilo era surreal. Como assim? Após algumas horas, ele teve morte cerebral. E eu e o Mat tivemos que tomar a mais terrível decisão de desligar os aparelhos. Julian morreu em nossos braços uma hora após isso”

“Eu quis compartilhar minha história para alertar outras gestantes. As grávidas são avisadas a não comerem frutos do mar, alguns tipos de queijos, não beber bebidas alcoólicas, mas ninguém fala: ‘ei, se você tiver esses sintomas parecidos com gripe faça o teste do vírus Enterovirus porque é grave e pode matar seu bebê”.

“Se tivéssemos descoberto que era isso que tínhamos teríamos feito todo o possível para o Julian ficar mais tempo na barriga. Assim ele poderia ter tido tempo de desenvolver imunidade e teria chances de sobreviver. Nós temos que fazer com que esse vírus pare de matar bebês!”.