Tatiana Dornelles
Tubarão

Comoção, tristeza… Difícil descrever os sentimentos de quem perde um ente querido. Somente quem passa por isso sabe exatamente o tamanho da dor, misturada com saudade e indignação. Infelizmente, as pessoas são tiradas deste mundo e do lado de quem as ama. É um processo pelo qual todos passarão um dia.

Ontem, por volta das 5 horas, duas vidas foram interrompidas abruptamente em Tubarão. Segundo relatos de uma vizinha, a professora Ivonete Borges Rigo, 36 anos, acordou para atender a filha de quatro meses, Vitória. O que era para ser uma rotina normal, tristemente, terminou em tragédia. Ao trocar o bebê, a mãe sujou o cabelo e foi lavar. Para não ficar com os cabelos molhados, resolveu usar o secador elétrico, no banheiro.

Vitória começou a chorar e, como nenhuma mãe gosta de ver os seus filhos chorando, pegou-a no colo. Foi quando o secador caiu na pia molhada. Ao pegar o aparelho, ocorreu o incidente. Mãe e filha morreram eletrocutadas. O marido de Ivonete e pai de Vitória, Sérgio Botega, ouviu o barulho e foi quem encontrou os corpos no chão. Elas foram levadas ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, mas chegaram já sem vida à instituição.

Ivonete era bem querida por todos que a conheciam. “Ela era uma pessoa muito amiga, companheira, dedicada. Foi uma grande perda”, desabafa Rosemar Melo Mendonça, que trabalha na secretaria de educação da prefeitura.

A professora trabalhava na secretaria da escola municipal Arino Bressan, no bairro Monte Castelo, e por dois anos havia sido diretora do CEI São Cristóvão. Segundo o secretário de educação, José Santos, ela era uma excelente funcionária. “É uma perda imensa. Ivonete era uma excelente professora. Estamos perplexos com a morte drástica”, lamenta o secretário.