Foto: Reprodução

A rede de lojas Havan, do empresário Luciano Hang, lançou uma nova campanha para reforçar a venda de bandeiras do Brasil. A ação iniciou após a polêmica envolvendo uma juíza eleitoral do Rio Grande do Sul, a qual disse que a bandeira se tornou marca de “um lado da política” no país, se referindo ao presidente Jair Bolsonaro (PL), apesar de não citá-lo diretamente.

“Devemos incentivar cada vez mais o patriotismo. Temos que ter orgulho do nosso país, da nossa bandeira. Fico impressionado com esse tipo de notícia. Um ativismo judicial absurdo. É a liberdade sendo tolhida todos os dias”, opinou Luciano Hang.

Com a campanha, as bandeiras podem ser adquiridas pelo preço de custo de R$ 19,99 em todas as lojas do Brasil. “A bandeira do Brasil representa nossa história e identifica a nação brasileira. Todo cidadão tem direito de exaltá-la, independentemente de partido”, disse o empresário.

Polêmica

A fala da juíza teria acontecido durante uma reunião com representantes de partidos na semana passada. Na ocasião, ela disse entender que a bandeira do Brasil será considerada uma propaganda eleitoral a partir do início oficial da campanha eleitoral.

A polêmica tomou corpo nesta quinta-feira, 14. Nas redes sociais, Bolsonaro satirizou a fala da juíza, publicou uma foto bebendo água e disse, de forma irônica, que a água também seria proibida por “representar a extrema-direita”.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: O Município