Zahyra Mattar
Laguna
 
Após uma série de denúncias de maus tratos a animais, feitas pela Sociedade Lagunense de Proteção aos Animais (Solpra) há pouco mais de uma semana, a justiça determinou a interdição parcial do Abrigo Municipal. Atualmente, 52 cães estão no espaço, cuja administração é da prefeitura.
 
A decisão, da juíza Lara Maria Souza da Rosa Zanotelli, impede o recolhimento de mais animais. Ainda determina um prazo de cinco dias para que os cães já abrigados recebam tratamento veterinário e o local seja detetizado.
A prefeitura também tem cinco dias para esclarecer qual o servidor municipal e o médico veterinário responsáveis para atendimento dos animais do local, com a carga horária. Caso a decisão não seja cumprida, uma multa de R$ 500,00 por dia será aplicada.
 
A juíza também requereu que a Polícia Militar Ambiental renove a inspeção e vistoria no local, com urgência. O relatório deverá ser apresentado em 15 dias. Conforme a Solpra, os animais que estão no abrigo estão doentes, falta comida.
A prefeitura rebate as acusações e garante que todos são bem cuidados, recebem alimentação adequada e tratamento. “Já cumprimos com o que a justiça determina agora desde abril deste ano, quando iniciamos os trabalhos no abrigo.
 
Realizamos um trabalho pioneiro e de qualidade”, garante a secretária de comunicação da prefeitura, Denise Pegorara.
 
Conforme a prefeitura, até o momento foram investidos aproximadamente R$ 26.973 mil na readequação do Abrigo Municipal. Segundo Denise, o valor não contabiliza o gasto com o aluguel do espaço (R$ 1 mil por mês) e o pagamento de funcionários (R$ 3,806,00 ao mês).