#Pracegover foto: na imagem há um cão
#Pracegover foto: na imagem há um cão

Coceira, vermelhidão, feridas e perda de pelo são sintomas de que seu pet pode estar com alguma alergia ou doença de pele. “As dermatites são relacionadas a diversos fatores, inclusive devido à genética, que deixa a pele sensível a diversos estímulos do ambiente, provocando a chamada dermatite atópica. Além disso, há outros fatores comumente relacionados a problemas de pele em pets, como alimentação, picadas de pulgas, carrapatos e mosquitos, além da presença de ácaros, piolhos, fungos e bactérias. Alterações hormonais também estão envolvidas e o contato da pele com agentes irritantes, como a coleira ou determinados produtos químicos, também podem desencadear dermatites”, explica a médica veterinária Patricia Guimarães.

Entre as doenças de pele mais comuns dos pets estão atopia, sarnas, micoses, piodermites, seborreias, dermatites de contato, as causadas por intolerância alimentar e a dermatite causada por picada de pulgas. Patricia explica que esses problemas acometem cães e gatos, “mas são mais comuns em cães, principalmente das raças Husky Siberiano, Golden Retriever, Shar Pei, Poodle, Pitbull, Labrador e Cocker Spaniel”.

Além de coceira, vermelhidão e perda de pelo, as doenças de pele podem causar presença de pus, mau cheiro, oleosidade excessiva em algumas áreas, crostas e escamas no pelo e na pele. A prevenção dessas enfermidades envolve cuidados rigorosos com saúde, limpeza e higienização dos animais, com banhos regulares com água morna e o uso de produtos específicos, além da secagem total do pelo e da pele para evitar umidade e o desenvolvimento de fungos. “A alimentação deve ser balanceada e o ambiente precisa estar constantemente limpo”. A veterinária da Syntec destaca a necessidade de “controlar ectoparasitas mensalmente com medicamentos eficazes tanto na forma de comprimidos como de pipetas e ter sempre cautela com o contato com animais sem histórico”.

Micodine, indicado para o tratamento das principais dermatites fúngicas nas peles de cães e gatos. O produto conta com os princípios ativos Cetoconazol e Clorexidine na formulação, antisséptico que combate bactérias oportunistas. Ele também possui agentes protetivos na formulação, que protegem a pele e os pelos dos efeitos de ressecamento das dermatites.

Peroíla, formulado com Peróxido de Benzoíla, é indicado para auxiliar o tratamento das principais piodermatites, dermatites interdigitais e de dobras cutâneas e para os animais que apresentam problemas relacionados a seborreias. Ele oferece ação residual de 48 horas e possui lanolina em sua formulação, agente hidratante que protege a pele e os pelos também dos efeitos do ressecamento, minimizando a coceira e a inflamação.

Os shampoos Micodine e Peroíla são indicados apenas para cães e gatos mediante prescrição veterinária e não devem ser usados em animais que apresentam sensibilidade aos componentes da fórmula. Além disso, Peroíla não deve ser administrado em filhotes com menos de 4 meses de idade.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Texto Assessoria