Já se passaram quatro meses desde os primeiros casos confirmados do novo coronavírus no Brasil e da ratificação da pandemia. De lá para cá, foram criados aproximadamente dez mil novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Esses números chegam para somar aos 17.9 mil vagas anteriores. A expectativa é que em breve ocorra o arrefecimento dos casos de covid-19. Com isso, em Imbituba, a pergunta que se tornou recorrente é o que será feito com os Leitos de UTI?

Os dez leitos de UTI, que serão implementados no Hospital São Camilo, em Imbituba, para o combate à pandemia do novo coronavírus, poderão ser mantidos na estrutura da casa de saúde. Assim, o atendimento para aqueles que precisam de um acompanhamento 24 horas, estará garantido na Capita da Baleia-Franca. Desta forma, a estrutura não será utilizada apenas neste momento de crise, mas ficará disponível para os usuários do Sistema único de Saúde (SUS) permanentemente.

Em nota emitida pela prefeitura de imprensa da assessoria de comunicação de Imbituba, uma série de comentários tem sido veiculada nas redes sociais sobre a instalação e permanência dos leitos de UTI no Hospital São Camilo. Não haverá mudanças e a estrutura será permanente. “Esses leitos não serão removidos após a pandemia da Covid-19. Serão dez leitos implantados pela prefeitura de Imbituba, com a habilitação do Estado para atendimentos pelo Sistema Único de Saúde”, afirma.

O portal da Transparência, da Controladoria-Geral da União, aponta que, entre janeiro e julho, o governo federal investiu R$ 77 bilhões com a saúde no País, ante R$ 57,5 bilhões no mesmo período de 2019. Passada a crise, parte das vagas de UTI será fechada e transformada em camas de enfermaria em muitos hospitais de diversas cidades do Brasil. No entanto, haverá filas de outras demandas, como cirurgias eletivas adiadas na pandemia.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul