A Icisa encerrou as suas atividades definitivamente em 2009. Os funcionários estão sem receber salários desde 2008.
A Icisa encerrou as suas atividades definitivamente em 2009. Os funcionários estão sem receber salários desde 2008.

Karen Novochadlo
Imbituba

Os ex-funcionários da cerâmica Icisa terão que esperar mais um pouco para receber os seus direitos trabalhistas. Nenhuma empresa ou pessoa física se interessou em adquirir os bens da fábrica, leiloados ontem à tarde.

Segundo o diretor da Vara do Trabalho, Carlos Alberto Crispim, muitos curiosos compareceram ao evento, mas nenhum fez oferta. O processo voltará para a juíza do trabalho Maria Aparecida. Os interessados em adquirir os bens terão que enviar uma petição com uma proposta. Os valores menores que R$ 7,5 milhões não serão considerados.

A Icisa encerrou as atividades definitivamente no ano passado, depois de várias tentativas de sair da crise. Contudo, os funcionários não chegaram a ser demitidos e até hoje aguardam a regularização da situação. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção, do Mobiliário e da Cerâmica Branca e Vermelha de Imbituba e Região, Cláudio Souza Ávila, informa que os trabalhadores não recebem desde 2008.

O valor arrecadado com a venda do pátio e bens da Icisa servirá para pagar as dívidas trabalhistas. Aproximadamente 385 trabalhadores esperam o ressarcimento através da justiça. Receberam 20% do valor da dívida 154 ex-funcionários.
As dívidas trabalhistas podem chegar a R$ 12 milhões, somados todos os processos que ainda correm na justiça. O pátio da empresa está avaliado em R$ 15 milhões. Com o maquinário, sobe para R$20 milhões.