Tatiana Dornelles
Tubarão

Depois de ter entrado em vigor a Lei Seca, o receio dos comerciantes era que o movimento caísse. Entretanto, o número de clientes continua o mesmo e houve um aumento de consumo de bebidas sem álcool, principalmente a cerveja. Em todo o país, a procura pelo produto gira em torno de 110%. O índice é referente aos meses que precedem o dia 20 de junho, quando entrou em vigor a lei que proíbe dirigir com qualquer nível de álcool.

“Há uma mudança de hábito. As pessoas continuam a sair, agora de forma diferente. Em vez de tomarem cerveja ou outras bebidas alcoólicas, têm optado por cerveja sem álcool ou refrigerante”, avalia o proprietário do restaurante Masolino, João Marcelino de Carvalho Júnior, de Tubarão.

Segundo ele, em seu estabelecimento houve um crescimento de 15% a 20% no consumo de cerveja sem álcool. “Cresce a cada dia a procura por cerveja sem álcool, o que mostra que há a redução da venda de bebida alcoólica devido à Lei Seca”, considera o dono do Gulla’s Lanches, Rogério de Castro.

Para a secretária do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Tubarão e Região, Marli Gonçalves, realmente nota-se uma redução no consumo de bebidas alcoólicas. “As pessoas estão mais conscientes e estão se precavendo, afinal a fiscalização está atuante através das blitze. Alguns adolescentes, por exemplo, revezam-se para dirigir. A população está bebendo com moderação”, avalia Marli.

No Céu da Boca Bar e Restaurante, em que o público é mais jovem, o consumo de bebidas com álcool e sem continua o mesmo. “O que se verifica é que o pessoal mais velho está preocupado com a lei: ou pára ou bebe menos. Já os jovens não estão tão preocupados e consomem da mesma maneira que antes da lei”, aponta IvanTournier Campelli, proprietário do Céu da Boca.