O processo de revitalização de um dos principais cartões postais de Capivari de Baixo foi iniciado oficialmente nesta quinta-feira (26), com a apresentação do Projeto Lagoa do Barreiro – Parque dos Sentidos, na Câmara de Vereadores do município. A reunião foi iniciada pelo presidente, Pedro Medeiros Camilo, com a participação de parlamentares, assessores e do coordenador de planejamento do município, Mário Latrônico Junior.

As responsáveis técnicas pela elaboração do projeto são: a arquiteta e urbanista Michelle Benedet, doutora em projeto urbano e paisagismo, e a engenheira agrônoma, mestre em planejamento territorial Juliana Benedet. Elas apresentaram os trabalhos idealizados pela empresa Land5 – paisagismo e desenho urbano, localizada em Tubarão. Deverão ser realizadas obras de urbanização em torno da lagoa, com a construção de equipamentos esportivos e de lazer, como academias e quadras, além de nova iluminação, mobiliários urbanos e paisagismo. O Parque dos Sentidos, localiza-se no entorno da Lagoa do Barreiro, apresenta uma área aproximada de 39.000m², incluindo a área da Lagoa, localizada no Bairro Três de Maio.

Para o processo de construção da identidade, Michelle destacou que foi aplicada a técnica do Poema dos Desejos, mas em forma de desenhos que compuseram uma maquete da área do parque, com crianças de um Centro de Educação Infantil Anita Brunel que se situa próximo ao terreno da proposta. “Denominamos esta técnica como Poema dos Desejos Ilustrados. Com os elementos apontados pelas crianças, podemos classificar as identidades que poderiam ser associadas ao projeto. Continuidade de memórias passadas – algumas crianças associaram o que queriam no parque como elementos que elas já vivenciam em suas casas, como casinha de passarinho, casinha de bonecas etc. Autoeficácia – as crianças propuseram ambientes adequados às suas  necessidades, entre eles, diversos tipos de brinquedos e elementos da fauna e da flora. Distintividade – entre os elementos distintos destacam-se as cores, um menino desenhou uma série de flores iguais, mas de cores distintas, destacando a importância de ter essa diversidade .Autoestima – as crianças criaram associações cognitivas positivas com o que queriam ter no parque, destacamos aqui o desenho de um deles que queria sua mãe”, pontua.

Conforme a arquiteta e urbanista, no projeto do Parque dos Sentidos foi adotado a classificação Conceito por Essências, definida por McGinty (1984): (olhando para além das necessidades programáticas) – quando faz conotações de visões interiores dos aspectos mais críticos e intrínsecos daquilo que será proposto. “O essencial, neste caso, é o sentir. Sentir as emoções, sentir os sentidos, sentir o espaço que está à sua volta”, observa.

O projeto é formado por inúmeros objetos visuais que são estruturados e conectados. Eles são elementos do ambiente construído ou natural que, cada qual, com suas particularidade interligadas, desempenham funções específicas no sistema sensorial visual: espaços livres, vegetação, água, estruturas construídas e tantos outros componentes que possuem uma finalidade e um significado no lugar.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Capivari de Baixo