O julgamento do habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Supremo Tribunal Federal (STF), será analisado nesta quarta-feira (4). Nesta terça, manifestantes contra e a favor da prisão de Lula promoveram atos em diversas cidades do país.

Os ministros da Corte decidem a partir das 14h, se o ex-presidente responderá em liberdade ao processo do triplex do Guarujá, em São Paulo onde ainda cabem recursos nos tribunais superiores. Se tiver o pedido negado, ele deverá começar a cumprir a pena de 12 anos e um mês de prisão de forma imediata.

Na capital federal, manifestantes favoráveis à prisão do ex-presidente Lula participaram de ato na Esplanada dos Ministérios nesta terça-feira. De acordo com a organização do ato, que foi convocado por grupos como Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem pra Rua, a previsão era reunir cerca de cinco mil pessoas, mas a forte chuva no início da noite na cidade desmobilizou a manifestação. Cerca de 1.5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, participaram do protesto.

Acompanhados por um trio elétrico, os manifestantes portavam cartazes e faixas com críticas ao PT e reivindicando a prisão de Lula. Do alto do trio, foram exibidos cartazes com imagens de ministros do STF, como Rosa Weber, Ricardo Lewandovski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio, seguidos de vaias. Para os manifestantes, esses magistrados seriam favoráveis ao pedido de liberdade preventiva do ex-presidente.

No mesmo horário, por volta das 18h30, integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de movimentos ligados à Frente Brasil Popular (FBP) distribuíram panfletos contra a prisão em segunda instância de Lula na Rodoviária do Plano Piloto, que é o principal terminal de transporte público da capital.

Em Florianópolis manifestantes contrários ao ex-presidente fizeram uma caminhada, acompanhados de carro de som, até a superintendência da Polícia Federal na cidade.