#Pracegover Foto: na imagem há um homem de camisa clara e um microfone
#Pracegover Foto: na imagem há um homem de camisa clara e um microfone

O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Criciúma, Pedro Aujor Furtado Júnior, morreu nesta segunda-feira (12), aos 50 anos, em decorrência de complicações da Covid-19. O magistrado estava internado no Hospital Unimed, na cidade carbonífera.

Nascido em Curitiba, no Paraná, Pedro Aujor mudou-se ainda na juventude com a família para Lages. Na cidade da Serra Catarinense ingressou na Faculdade de Direito. Em 1998 tornou-se juiz. O profissional exerceu a sua função em comarcas dos municípios de Videira, Blumenau, Araranguá, Sombrio, Jaraguá do Sul e, por fim, Criciúma.

O velório será para familiares e amigos próximos, conforme informou Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O órgão também emitiu uma nota de pesar lamentando a morte.

Em julho do ano passado, a decisão do juiz em uma ação chamou atenção no Estado ao dar uma ‘bronca’ em um morador do município que procurou a Justiça para não usar máscara, em meio à pandemia de Covid-19. “Fosse o impetrante o último e único indivíduo morador de Criciúma (ou afinal o último habitante do planeta terra, uma vez que se cuida de pandemia e como o próprio nome sugere trata-se de uma epidemia global) não haveria o menor problema para que o mesmo circulasse livremente sem máscara e ficasse exposto à Covid-19 (ou a qualquer outra moléstia legal transmissível) por sua livre e espontânea vontade, uma vez que não transmitiria seus males para quem quer que seja. Mas não é esta a realidade”, escreveu no despacho.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul