Nas redes sociais imagens de carros de luxo, viagens e até barcos, na vida real nenhum trabalho comprovado, fora, segundo o que diz a justiça, o recebimento do benefício do ‘Bolsa Família” e de assaltos a bancos.

 Baseado nessas informações que o juiz Marcos Faleiros, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, condenou Lúbia Camilla Pinheiro Gorgete a 5 anos de prisão, no regime semiaberto, com o uso de tornozeleira eletrônica.

Segundo o magistrado, a mesma pertencia a uma  organização altamente especializada, que inclusive utilizava equipamentos para bloquear sinais de alarme, garantindo êxito dos crimes, praticando assim uma onda de furtos qualificados e roubos a agências bancárias em Mato Grosso, gerando intensa intranquilidade no meio social em 2016.

Ele é acusada de organização criminosa e de se envolver com assaltos a pelo menos 10 agências bancárias em Mato Grosso em 2016. Segundo a Polícia Civil, a mulher não tem relação direta com os crimes, mas tem ligação com os assaltantes e usufruía de viagens e passeios de luxo pagos com o dinheiro roubado.

Vida de luxo

Segundo a Justiça, a acusada fazia questão de ostentar viagens, carros de luxo e barcos, possivelmente custeados com dinheiro proveniente dos roubos, segundo a Polícia Civil. O que ela não divulgava, é que recebia desde 2015 benefícios do Bolsa Família.