Um paraquedista morreu, nesta quarta-feira (19), durante um salto mal sucedido, no Centro Nacional de Paraquedismo, em Boituva, interior de São Paulo. Diogo Tavares, de 35 anos, fazia uma aula com um instrutor, mas o paraquedas principal apresentou problema. Diogo era de Florianópolis e estava no Estado Paulista onde praticava saltos há bastante tempo.

De acordo com a Estadão Conteúdo, Diogo chegou a abrir o equipamento reserva, mas os cordões se enrolaram e ele acabou caindo próximo de um campo de futebol. Ele chegou a ser levado a um hospital da cidade, mas teve parada cardiorrespiratória e não resistiu. O corpo será levado para Florianópolis.

Colegas de Diogo disseram que ele já havia realizado 39 saltos com sucesso. Mas desta vez ele teve um  problema com o paraquedas principal e deveria ter desativado o equipamento, antes e acionar o paraquedas reserva. O procedimento não foi observado e os cordames dos dois paraquedas se enrolaram. A Polícia Civil recolheu os equipamentos para perícia.

 

A Associação Nacional de Paraquedismo informou que os acidentes foram fatalidades e estão sendo investigados pelas autoridades policiais. O Centro Nacional de Boituva é o maior centro da paraquedismo da América Latina, contando com 12 clubes e ao menos oito aeronaves para a prática do esporte.