João de Deus deixou, nesta quinta-feira (6), o Instituto Neurológico de Goiânia para retornar ao Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. O líder religioso saiu do instituto usando roupa brancas e, em cadeira de rodas, entrou no carro do sistema prisional.

As acusações de João de Deus são: abusos sexuais, posse ilegal de arma de fogo, corrupção de testemunhas e falsidade ideológica. A transferência para o presídio foi determinada pela 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após a análise dos habeas corpus impetrados pelos advogados de defesa.

Ele foi internado para tratar um aneurisma no abdômen. Preso em dezembro de 2018, a transferência para um hospital foi feito em março deste ano, após um pedido feito pela defesa, que alegou risco de morte do líder religioso. O período de internação era de 30 dias, mas foi prorrogado duas vezes pelo ministro Nefi Cordeiro, do STJ.

A juíza Rosângela Rodrigues, da Comarca de Abadiânia, assinou o despacho e encaminhou cópia do acórdão ao Núcleo de Custódia, no início da tarde desta quinta-feira, onde João de Deus ficará preso.