Apesar de a BR-101 ficar mais segura com os equipamentos de controle de velocidades, a PRF continuará a utilizar os radares móveis em pontos estratégicos.
Apesar de a BR-101 ficar mais segura com os equipamentos de controle de velocidades, a PRF continuará a utilizar os radares móveis em pontos estratégicos.

Zahyra Mattar
Tubarão

Aproximadamente 65% das multas de trânsito aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina é devido ao excesso de velocidade. No país, este percentual não muda muito. A partir deste dado, tornou-se prioridade a instalação de novos equipamentos de controle de velocidade nas estradas do estado, especialmente nas áreas urbanizadas.

O trabalho de instalação de radares fixos, avanço de sinal vermelho e lombadas eletrônicas inicia neste mês. No país, serão 2.696 equipamentos, que vão monitorar 5.392 faixas pelo prazo de cinco anos.

A licitação foi concluída em dezembro de 2010. Dos 12 contratos previstos, 11 estão assinados. Agora, as empresas e os consórcios que já têm a ordem de serviço elaboram os estudos técnicos que indicarão a localização exata e o melhor aproveitamento dos equipamentos. Este trabalho é feito com base nos dados de acidentes, segmentos críticos existentes e nos registros do tráfego local.

Em Santa Catarina, o investimento chegará a R$ 118,4 milhões. Para o estado, o contrato ainda não foi assinado e não há prazo para isso. Ao todo, serão 204 equipamentos de controle de velocidade. Deste total, 46 (radares fixos e lombadas eletrônicas) ficarão na BR-101 sul.

Um dado importante: os equipamentos removidos em virtude das obras de duplicação voltarão a ser afixados. Estes novos que serão implantados virão para complementar a necessidade atual da rodovia. Não se trata de uma substituição, e sim de um acréscimo no número de equipamentos.